20/08/2020 09h13min - Geral
3 meses atrás

Autoridades aceleram retomada da malha ferroviária de Mato Grosso do Sul

Malha Ferroviaria em MS

Divulgação ► 

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Portal do MS


O governo do Estado faz uma força-tarefa para reativar a malha ferroviária de Mato Grosso do Sul. O modal logístico vai facilitar o escoamento da produção sul-mato-grossense, além de ligar o Estado aos principais portos da América do Sul. 

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) pediu ao próprio presidente da República a relicitação da Malha Oeste, antiga Noroeste do Brasil, e ainda assinou convênio para a contratação de estudo que vai viabilizar a construção de um novo ramal.

O convênio assinado na tarde desta quarta-feira (19) pelos governadores de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, e Carlos Massa Júnior (PSD), do Paraná, dá o pontapé inicial para a construção de um corredor ferroviário que vai ligar os dois estados vizinhos. 

O projeto prevê a construção de via-férrea de Cascavel (PR) até Maracaju (MS). A parceria foi firmada para contratação do Estudo de Viabilidade Econômica e Ambiental (Evetea), para a construção do Corredor Oeste de Exportação – Nova Ferroeste.

Com projeção estimada de 1.370 quilômetros, o corredor fará a ligação ferroviária de Mato Grosso do Sul ao porto de Paranaguá (PR), no Paraná. 

Além da ligação entre Maracaju e Cascavel, também está no planejamento a revitalização do trecho ferroviário de Cascavel a Guarapuava (PR) e a construção de uma nova ferrovia entre Guarapuava e Paranaguá (PR) e de um ramal entre Cascavel e Foz do Iguaçu (PR).

Praticamente 95% da produção estadual é transportada por rodovias, um modal que gera mais gasto com o transporte. 

“Chega ao porto, mas chega em um custo muito maior do que pelo transporte ferroviário. Quando a gente interliga Mato Grosso do Sul ao Paraná e ao porto de Paranaguá, 1.350 quilômetros de ferrovia, nós damos competitividade aos produtos. A gente se torna mais competitivo, tanto para exportar como nas importações também, porque somos importadores, principalmente de fertilizantes e alguns insumos”, disse Azambuja.

Governador acrescentou que também falou que a nova ferrovia fará uma conexão com a Malha Oeste em Maracaju, abrindo um novo canal de escoamento de soja, etanol e outros produtos até o Porto de Paranaguá.

“O governo Federal vai relicitar o trecho de Mairique [SP] a Corumbá, com um ramal de Campo Grande, Maracaju até Ponta Porã, então a gente vai ter um modal ferroviário interligando os nossos estados, com as possibilidades também de as cargas do Paraná adentrarem Mato Grosso do Sul e vice-versa”, disse.