08/03/2019 13h54min - Região
2 anos atrás

Em dois meses, cidade de MS tem três vezes o total de dengue de 2018


Divulgação ► CCZ aumentou mutirões contra proliferação do mosquito, mas casos de dengue continuam crescendo

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


Os casos de dengue explodiram nas últimas semanas em Dourados, a 233 km de Campo Grande. De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica, 159 suspeitas foram notificadas de 1º de janeiro até agora e 60 casos já foram confirmados. A quantidade de pessoas infectadas pela dengue em 2019 na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul é três vezes o total de casos da doença nos 12 meses do ano passado, quando 21 foram confirmados. A coordenadora do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), Rosana Alexandre da Silva, afirma que a tendência de aumento deve se manter durante o mês de março. “Até o final de março teremos um aumento considerável. Chuva e temperatura alta são os Ingredientes ideais para proliferação de vetores e doenças”, afirmou ela ao Campo Grande News. Nas últimas semanas, o CCZ ampliou os mutirões nos bairros e na área central para eliminar focos do mosquito Aedes aegypti. Mesmo assim os casos continuam crescendo e a culpa é de quem não cuida da limpeza dos quintais. “Infelizmente a população não faz sua parte e 80% dos focos são encontrados em residenciais”, explicou ela. Entretanto, neste mês o CCZ encontrou focos do mosquito até na Praça Antônio João. A Secretaria de Serviços Urbanos foi notificada com base na Lei da Dengue, mas, segundo o CCZ, tomou providências imediatamente para conter os locais de proliferação do inseto. A Secretaria de Saúde do município pediu que as pessoas com suspeita de dengue procurem as unidades de saúde para acompanhamento e tratamento. Além da dengue, Dourados já registrou neste ano três casos suspeitos de zika vírus, sem nenhuma confirmação até agora, e 21 suspeitos de febre chikungunya. Dois foram confirmados. As duas doenças também são transmitidas pelo o Aedes aegypti.