O assunto é: Região

13/01/2020 - 15:16

Agronegócio fatura R$ 10,4 bi, mais da metade das exportações em MS

[ FOTO: Divulgação ] Houve aumento de exportação de grãos

As exportações do setor do agronegócio movimentaram US$ 2,6 bilhões em Mato Grosso do Sul no ano passado, ou equivalente a R$ 10,4 bilhões. Isso representa mais da metade do total exportado no Estado em 2019, que ficou em US$ 5,2 bilhões. Os destaques da balança foram o milho, as carnes e a soja.


A soja em grão tem maior representatividade nestes dados com 21,62% de participação, e US$ 1,1 bilhão comercializados com queda em termos de valor de 41,35% em relação a janeiro a dezembro de 2018. Em termos de volume, houve queda de 33,94% comparado ao mesmo período de 2018.


De acordo com o secretário de Estado de Produção (Semagro), Jaime Verruck, no ano passado aumentou o esmagamento de soja no mercado interno e a tendência é que as exportações continuem diminuindo em 2020. “A atividade de novas indústrias neste ano vai aumentar o processamento de soja internamente, como a Coamo em Dourados e isso é positivo, pois a operação dentro do Estado gera impostos e agrega valor à cadeia”.


O destaque das exportações sul-mato-grossense em 2019 fica com o milho que aumentou em 409% os envios ao exterior, com faturamento de US$ 437,3 milhões. resultado de uma safra recorde e de uma política estadual de incentivo à logística. Mas, de acordo com o secretário, a tendência é aumentar o consumo interno nos próximos anos com expansão da avicultura e suinocultura.


A carne bovina ficou em US$ 774,6 milhões comercializados, puxado pela carne bovina e o apetite chinês. No setor ainda as vendas de aves tiveram movimentação de US$ 236,8 milhões em 2019 no Estado.


BRASIL

No Brasil, o agronegócio respondeu por US$ 96,8 bilhões no ano passado. Esse valor representa 43,2% do total exportado pelo Brasil, segundo a Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Os dados mostram leve crescimento do setor nas exportações totais do país. Em 2018, essa participação havia sido de 42,3%.


O destaque foi o comércio de milho, carnes e algodão. O milho registrou volume recorde de exportação, com 43,25 milhões de toneladas. O recorde anterior foi registrado em 2017, com 29,25 milhões de toneladas do cereal exportadas.


Ainda de acordo com o ministério, a China se tornou o principal cliente da carne bovina brasileira. O país asiático é responsável por 26,8% do volume total exportado. Com isso, ultrapassou Hong Kong, que ficou na segundo posição, com 18,6%.


Milho- A produção de milho na safra 2018/2019 também foi recorde, somando 100 milhões de toneladas, gerando um excedente exportável de milho de praticamente 20 milhões de toneladas em relação à quantidade exportada em 2018.


Já a soja teve redução de quase 10 milhões de toneladas nos embarques, queda que foi compensada em parte pelas vendas de carnes (bovina, suína e de frango), milho e algodão.


Carnes - As vendas externas das carnes passaram de US$ 14,68 bilhões em 2018 para US$ 16,52 bilhões em 2019, alta de 12,5%. O impacto da peste suína africana em diversos países, principalmente no rebanho chinês, ajudou no incremento das exportações brasileiras de carnes.


A carne bovina foi a principal carne exportada pelo Brasil, com US$ 7,57 bilhões em vendas externas no ano de 2019 (+15,6%). Este valor é recorde para toda a série histórica. O volume exportado de carne bovina também foi recorde, atingindo 1,85 milhão de toneladas.


Sul News





Fonte: Sul News
TAGs:  •  
Editoria: Região

Desenvolvido por
ANSIM