O assunto é: Política

25/07/2018 - 08:23

Deputado descarta aliança com o MDB e vê duas opções para o DEM em MS

[ FOTO: Divulgação/Assessoria ] Com prisão de Puccinelli mantida, Mandetta vê candidatura própria ou aliança com Reinaldo como opções para o DEM.

O Diretório Regional do DEM deve restringir suas opções para a disputa pelo governo de Mato Grosso do Sul entre uma candidatura própria ou a aliança com o PSDB de Reinaldo Azambuja. A avaliação é do deputado federal Luiz Henrique Mandetta, que se coloca como opção para a disputa pelo comando do Parque dos Poderes. Já o apoio à reeleição do atual governador agrada o presidente regional e a bancada do DEM na Assembleia Legislativa. Desde o afunilamento do processo eleitoral no Estado, o DEM revela um racha interno: a bancada federal sinalizava interesse no voo solo rumo ao Executivo ou a aliança com o MDB de André Puccinelli, que se colocou na disputa pelo governo estadual. No entanto, sua prisão na sexta-feira (20) dentro das investigações da Operação Papiros de Lama e a negativa na concessão liminar de um habeas corpus pelo TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) nesta terça (24) são vistas como empecilhos para os entendimentos. Mandetta disse, por telefone, que mantém a tese “que sempre defendi de candidatura própria ao governo do Estado”, colocando a si como alternativa da legenda. Entretanto, reconheceu que com o encaminhamento dos entendimentos finais no processo eleitoral, só haveria outra opção com base nas conversas em andamento. “Ou o Reinaldo ou a candidatura própria”. Divisão – O entendimento entre DEM e Reinaldo chegou a ser anunciado pelo presidente regional do partido, Murilo Zauith. Os democratas formalizariam a indicação do dirigente para a vaga ao Senado e do deputado estadual José Carlos Barbosa (o Barbosinha) para a vice. Contudo, diante de resistências da bancada federal em Brasília, as conversas “voltaram à estaca zero”, disse Zauith ao Campo Grande News. Também deputado estadual do DEM, Zé Teixeira afirma que tucanos e democratas continuam a conversar e a aliança tem o aval da bancada na Assembleia e dos prefeitos do partido. Entre as preocupações está a garantia de que a bancada federal (formada por Mandetta e Tereza Cristina) teria espaço para disputar a reeleição em uma chapa competitiva. “Temos muita conversa até aqui”, afirmou Teixeira, ao reiterar posição que mantinha de apoiar a candidatura à reeleição do atual governador. “Tenho uma posição clara de apoiar a candidatura do Reinaldo. Ele fez uma boa gestão apesar de todos os problemas que o Brasil enfrentou”, afirmou, garantindo que ele, Barbosinha, Zauith e os prefeitos do DEM têm a mesma avaliação. O deputado estadual acredita que a aproximação nacional entre o DEM e o presidenciável tucano Geraldo Alckmin pode ajudar também no alinhamento estadual. Contudo, garante que, independentemente da decisão democrata, disputará a reeleição pedindo votos para Reinaldo. “Se a coligação não for com ele vou no solo pedindo voto”.


Fonte: Campo Grande News
TAGs:  •  DEM •   Mato Grosso do Sul •   PSDB •   Reinaldo Azambuja •   Luiz Henrique Mandetta •   Assembleia Legislativa •   Jornal Correio do Sul
Editoria: Política

Desenvolvido por
ANSIM