08/01/2021 15h29min - Geral
2 semanas atrás

Memorial digital será produzido em homenagem ao radialista Altevir Nunes

Altevir Nunes

Arquivo/ A.nunes ► Radialista que faleceu a um ano terá sua história no Memorial

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


O memorial será em formato de um site, produzido por seu filho, e contará com imagens e

áudios da vida do radialista que faleceu exatamente um ano atrás

Na data de hoje, há um ano atrás, a cidade de Naviraí perdia um de seus maiores

comunicadores, Altevir Nunes. Lembra-se com saudade das manhãs de Alegria Sempre,

que desde 1980 na Rádio Cultura de Naviraí, comunicava, informava, entretia e alegrava o

início de um novo dia para seus ouvintes.

Muitas histórias, acontecimentos, lembranças, risos e conquistas marcaram os 70 anos

desta personalidade que conquistou o seu espaço no rádio sempre com otimismo,

descontração, simplicidade e humildade. Respeitando colegas e, literalmente, vestindo a

camisa da Cultura de Naviraí.

Fatos estes registrados em som, imagem e sentimento, que agora estão sendo digitalizados

e catalogados para, em breve, serem publicados em um site memorial da vida e carreira de

Altevir.

São entrevistas, trechos de seus programas de rádio, recepções, artigos de jornal, fotos de

exposições, shows, coberturas esportivas, políticas e culturais, além de momentos com a

família, amigos e pessoas das mais variadas posições da sociedade, algo que era inerente

ao seu jeito de ser em tratar com igualdade dos mais simples aos grandes ícones de

diversos segmentos, o que lhe garantia acesso fácil por onde passava pois alí sabia-se da

sua idoneidade.

O site terá além da publicação dos registros multimídia de sua vida pessoal e profissional,

relatos de familiares, amigos, colegas de trabalho, personalidades artísticas e políticas.

Também sua biografia em textos que contarão sua trajetória de 53 anos de rádio, sua

passagem pela vida pública e fatos curiosos do seu dia-a-dia.

“Estou digitalizando os materiais que eu e o pai juntamos, além de colaboração de amigos e

familiares, da Rádio Cultura e das redes sociais, onde o pai era extremamente ativo. Ele

gostava muito de participar, seja lá do que fosse. É um trabalho detalhado e delicado que

demanda tempo de organização, captura e edição, que aos poucos vou realizando com

muito carinho, recordando e descobrindo cada vez mais momentos sensacionais que o pai

viveu. São inúmeras fotos, muitas horas de áudio e vídeos mostrando tudo isso. Será minha

forma de homenagem e de eternizar um caminho que ele construiu e do qual eu tenho um

orgulho imenso. Meu pai era incrível.” - relatou.

A.Nunes