11/04/2016 11h03min - Geral
7 anos atrás

Ações de prevenção a dengue prosseguem em Naviraí

dengue

Divulgação ► Equipe este no final de semana no Porto Caiuá

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


Durante esta semana, seguindo a determinação do prefeito a Gerência de Saúde, via equipes do setor de controle de vetores, tem intensificado as ações nos bairros de Naviraí, em combate ao mosquito transmissor da dengue. E nesta semana, a atenção está toda voltada para o Jardim Sol Nascente, o bairro que na semana anterior respondeu por oito notificações, 40% do total de 20 feitas na área urbana. Na sexta-feira e no sábado, a ação aconteceu no distrito do Porto Caiuá, quando os agentes de endemia atuaram no controle químico e mecânico, com um grupo de 40 pessoas trabalhando para que haja a eliminação e/ou retirada de garrafas pets, latinhas, vasos, pneus e outros objetos que possam servir de depósito de água parada, o que facilita a proliferação. A mesma ação ocorre agora no Jardim Sol Nascente e ocorrerá em vários pontos de Naviraí. Embora as 822 notificações (casos suspeitos) com a confirmação de 132 casos de dengue em 2016 seja muito inferior a bem mais de duas mil notificações feitas em 2013, é grande a preocupação na Gerência de Saúde. “Temos que fazer o trabalho de prevenção com limpeza e conscientização, para que não haja a procriação dos mosquitos, através da postura de ovos e eclosão, ou através do aparecimento de larvas em água parada, e é por isto que é muito importante que cada morador de Naviraí seja conscientizado e que cada um faça a sua parte” , declara o agente de endemias, José Pereira. O prefeito está preocupado com o combate à dengue e por isto autorizou a contratação temporária de dez agentes de endemias, via processo seletivo. Todos os contratados trabalham com a aplicação de inseticida com a borrifação com bombas costais. “Temos que fazer as ações de prevenção ao surgimento do mosquito transmissor, porque está sendo provado que a retirada de circulação de objetos que possam reter água parada é a forma mais eficiente de combater à dengue”, considera José Pereira. Assessoria