29/05/2014 10h22min - Polícia
9 anos atrás

Adolescente apanha em escola por dizer não para namoro com colega

Violência

Ilustração  ► Jovem Apanha após negar pedido de namoro

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


Na noite de terça-feira (27), uma mulher foi até a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Bairro Piratininga, relatar agressão que seu filho teria sofrido em um colégio no Bairro Universitário. A vítima, um adolescente de 17 anos, disse que foi agredido por outros sete adolescentes, que estudam na mesma escola. O jovem ainda afirmou conhecer apenas um dos agressores. Segundo o adolescente, ele apanhou porque se recusou a namorar uma aluna do colégio. Ele teve lesões nas costas, braços, cabeça e tórax. Outros casos Este foi o sexto caso registrado de agressões nas mediações de escolas em Campo Grande, desde fevereiro deste ano. Em fevereiro, duas adolescentes de 14 anos se envolveram em uma briga no final da aula na Escola Estadual José Barbosa Rodrigues, no bairro Universitário. As imagens foram gravadas e se espalharam pela internet. Em março, dois casos foram registrados. No dia 18, alunos da Escola Estadual Joaquim Murtinho ficaram de tocaia no horário da saída dos estudantes da Escola Estadual Rui Barbosa para bater em um aluno. Uma “pancadaria” ocorreu e foi filmada e compartilhada na internet. A vítima teria apanhado porque estava dando em cima da namorada do agressor. Dez dias depois, uma adolescente de 16 anos foi agredida quando saía da escola Caic (Centro de Atendimento Integral à Criança) Rafaela Abrão, no bairro Aero Rancho. A vítima contou que a motivação principal seria ciúmes da jovem, que era nova na instituição. Já em abril, duas meninas se agrediram na frente da Escola Estadual Arlindo de Andrade Gomes. A briga foi filmada e é possível ver que uma das jovens arrasta a outra pelos cabelos. Vários alunos observavam, mas briga só terminou quando dois homens separaram as garotas. A briga teria sido motivada por causa de um garoto. No mês de maio, um caso diferente de agressão aconteceu em um colégio particular de Campo Grande. Um homem, de 36 anos, pai de um dos alunos, agrediu um colega de seu filho, de apenas 11 anos. A criança teve o braço deslocado. O motivo da briga teria sido um desentendimento entre os dois alunos.