11/10/2017 11h12min - Naviraí
5 anos atrás

Após denúncia anônima sobre drogas, polícia faz busca em casa de filho de Lula

filho de Lula

gazetaonline ► Marcos Lula da Silva teve a casa revistada mais nada foi encontrado

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


A Polícia Civil realizou nesta terça-feira uma busca na casa de Marcos Lula da Silva, filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, após receber uma denúncia anônima por telefone, que indicava uma suposta presença de drogas no local. De acordo com a defesa do ex-presidente, a polícia não encontrou substâncias ilícitas durante a vistoria na na casa que fica em Paulínia, interior do estado de São Paulo. O caso gerou grande repercussão nas redes sociais, com internautas e figuras públicas questionando a competência da instituição para tal ação, e lembrando outros casos, como do helicóptero de cocaína, que não mereceram tamanha atenção como um suposto telefone anônimo. Em nota, o advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin Martins, classificou a ação como abusiva. "A busca e apreensão, feita a partir de denúncia anônima e sem base não encontrou no local o porte de qualquer bem ou substância ilícita, o que é suficiente para revelar o caráter abusivo da medida", afirmou. O Partido dos Trabalhadores (PT), também por meio de nota, criticou a ação. "A operação policial na casa de Marcos Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, a partir de uma suposta e falsa denúncia anônima, foi uma violência que tem de ser explicada por todas as autoridades envolvidas", escreveu a senadora Gleisi Hoffmann, presidenta do partido. A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) também se manifestou sobre a operação. Para ela, usam o filho do ex-presidente para atingi-lo. Para o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), trata-se de "abuso de autoridade", "estado de exceção". "Fazem com Lula, fazem com os mais pobres e farão com qualquer um." Marcos Lula foi diretor de Turismo e Eventos na Prefeitura de São Bernardo do Campo (SP) entre 2009 e 2012, quando se elegeu vereador, posto que ocupou até o ano passado. jornaldobrasil