12/03/2019 14h35min - Geral
4 anos atrás

Até fim do ano, Capital pode ganhar 100 câmeras de reconhecimento facial

reconhecimento facial

arquivo ► Sistema ajudou a localizar este homem no carnaval na Bahia

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


Além das 38 câmeras de monitoramento já existentes em Campo Grande, a Guarda Municipal pretende instalar mais 100 na cidade até o final deste ano. Com um custo de aproximadamente R$ 3 milhões, os equipamentos fazem o reconhecimento facial e de placas de veículos, o que promete ajudar a Justiça a tirar criminosos das ruas. Segundo o secretário Valério Azambuja, equipamento ajudou a polícia a prender um foragido durante o Carnaval em Salvador Ao Campo Grande News, o secretário municipal de Segurança e Defesa Social (Sesdes), Valério Azambuja, contou que o equipamento já é utilizado em outras cidades do país e, durante o Carnaval, uma câmera com a tecnologia reconheceu um foragido da Justiça, mesmo ele usando fantasia. O projeto para Campo Grande será apresentado ao Ministério da Justiça em maio. ''O objetivo é ajudar na localização de pessoas com problemas com a Justiça. No caso das placas de carros é auxiliar na apreensão e localização de veículos objeto de roubos e furtos. As imagens também serão utilizadas como provas em processos judiciais e em investigações. Existem várias utilidades da ferramenta para ajudar na redução da criminalidade em Campo Grande", explicou. Segundo o secretário, caso o projeto seja aprovado, o prazo para a liberação de recursos e o trâmite de licitação deve levar em torno de 180 dias. ''A previsão é de que até o final deste ano o projeto já esteja sendo implantado em Campo Grande", disse. As câmeras deverão ser instaladas na região central de Campo Grande, nos nove terminais de ônibus e nas regiões do Anhanduizinho e Noroeste. O custo do equipamento, instalação e mão de obra deve ficar entre R$ 2,5 milhões a R$ 3 milhões. Escolas - O ideia da secretaria não é apenas monitorar as ruas da cidade, mas também as escolas municipais. O projeto de implantação das câmeras nas instituições será apresentado ao Ministério da Educação também em maio. O objetivo é aumentar o número de efetivo fazendo rondas nas ruas. ''O projeto demanda um investimento de cerca de R$ 5 milhões, mas deverá ser implantado a médio e longo prazo. A ideia é colocar as câmeras em 2020 e 2021", explicou Valério. Uma escola da rede municipal já possui uma câmera de monitoramento como projeto piloto. 38 câmeras A Capital já conta com 38 equipamentos de monitoramento, sendo 22 na região central de Campo Grande, em alguns bairros e nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e CRSs (Centros Regionais de Saúde). As primeiras, instaladas no centro em junho de 2015, tinha com a meta de reduzir em 30% a criminalidade por ali. Conforme o secretário, a meta está sendo batida diariamente. ''Alcançamos todos os dias o objetivo. Hoje, ampliamos o monitoramento com mais 16 câmeras. Na Afonso Pena, na altura do Cidade do Natal, temos três câmeras instaladas permanentemente para ajudar no controle de pessoas e veículos, principalmente quando tem eventos", disse. Segundo a Guarda, em casos de ocorrências, uma viatura é destinada e chega ao local em até cinco minutos. CGNews