02/02/2017 14h57min - Política
6 anos atrás

Demissões e fusões farão MS ter até 11 secretarias, afirma governador

Há três anos, Mato Grosso do Sul tinha 17 pastas

ValdenirRezende ► Governador e Junior Mochi, na sessão de abertura da ALMS

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


Estudada desde 2014 e colocada em prática, em partes, no ano passado, a reforma administrativa do Governo do Estado deve fazer com que, ainda neste ano, haja demissões e fusões que farão com que as 13 secretarias existentes atualmente passem a ser, no máximo, 11. O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) falou sobre a reforma nesta quinta-feira, depois de discurso na abertura dos trabalhos da Assembleia Legislativa. A previsão é que o projeto com as mudanças seja entregue pelo Estado aos deputados na próxima semana De acordo com Azambuja, das 17 secretarias existentes em 2014, neste ano o número ficará entre 10 e 11. “Não teremos extinção, mas fusão de organismos que são muito similares e podem trabalhar juntamente em estrutura existente sem perder a qualidade do serviço, mas economizando mais para o governo para gastar mais com as pessoas. Diminuir estrutura não significa perder qualidade”. O governador ainda lembrou que desde que assumiu o Estado, reduziu a quantidade de secretarias que antes eram 17 para 13. Em relação às demissões, números não foram revelados, mas Azambuja afirmou que também haverá remanejamento de servidores concursados. “Teremos um encolhimento de cargos em comissão e com certeza o efetivo é estável, mas pode ser remanejado para atendimento em outras áreas. Hoje Mato Grosso do Sul é o 2º estado com menor tamanho de máquina, com esse trabalho, seremos o estado mais enxuto e equilibrado e que vai cumprir suas obrigações”, completou. Com relação à reforma da previdência, Azambuja disse que o aumento da contribuição do servidor ainda é estudado, mas que há possibilidade que a alíquota passe de 11% para 14%. CorreiodoEstado