16/03/2016 08h57min - Política
7 anos atrás

Deputado é procurado por Aécio e Reinaldo e deve migrar para o PSDB

O parlamentar informou que ainda aguarda posição do PMDB em âmbito nacional

Divulgação ► Senador Aécio Neves (esquerda) e o deputado Geraldo Resende (direita) durante encontro em Brasília.

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Campo Grande News


O deputado federal Geraldo Resende (PMDB-MS) revelou que recebeu convite do presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, e do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, para filiar-se na sigla que pretende lançá-lo como pré-candidato à Prefeitura de Dourados. O parlamentar informou que ainda aguarda posição do PMDB em âmbito nacional e deve definir a mudança neste sábado, dia 19. Resende explicou que nos últimos meses dedicou-se a construir sua pré-candidatura no PMDB. Por isso, antes de definir seu rumo partidário, irá conversar com todos aqueles que o apoiam, dentro e fora do partido. Apesar disso, Resende afirmou que se sente honrado com o convite. "Fui um dos fundadores do PSDB em Dourados e seu filiado número um nesta cidade e um dos primeiros em Mato Grosso do Sul. Meus dois mandatos de vereador foram conquistados por este partido, do qual saí posteriormente por contingências da política estadual. Mas me sentirei bastante à vontade, caso retorne à sigla", salienta Geraldo Resende. O deputado afirma, porém, que tem um respeito muito grande pelo PMDB douradense e estadual, partido que ajudou a construir nos últimos anos, junto com lideranças locais e regionais e pelo qual é pré-candidato oficial à Prefeitura este ano. "Somente irei refazer esse projeto em uma outra agremiação se for o melhor caminho para nossa cidade, para nosso Estado e para o país", ressalta. "Nosso propósito é construir uma boa relação com o governo do Estado, principalmente em função da grave crise econômica que o país atravessa". Uma das razões que pesa na volta de Geraldo ao PSDB é a indecisão do seu atual partido, o PMDB, em relação ao governo Dilma Roussef (PT). Na semana passada, durante a convenção nacional, o deputado deu declarações públicas defendendo a ruptura com o governo Federal, o que não aconteceu. CampoGrandeNews