03/06/2016 12h29min - Geral
7 anos atrás

Deputados fazem apelo para governo por mais vacinas contra H1N1

vacinas contra H1N1

R.Higa/ALMS ► O assunto foi amplamente discutido na Casa

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


Os deputados estaduais discursaram em sessão desta quinta-feira (2/6) em forma de apelo ao Governo do Estado para que mais doses da vacina da H1N1 sejam disponibilizadas para a população. Ocupando a tribuna, o deputado Beto Pereira (PSDB) criticou a administração municipal da Capital que, segundo ele, não explicou como mais de três mil doses da vacina sumiram dos postos de saúde. “Colocam a culpa em funcionários, não resolvem a situação. A desorganização e a falta de planejamento foram claras. Quem sofre é a população. Também há falta de vacinas no interior. Então peço ao governador Reinaldo Azambuja, faço esse apelo, que assuma a responsabilidade e compre mais vacinas”, argumentou. O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Professor Rinaldo (PSDB), também destacou a falta de vacinas em vários municípios do Estado. “Eu já falei com o secretário de Saúde por mais doses. Em Campo Grande a situação está crítica, não há nem transporte e material escolar para os alunos. Se houvesse responsabilidade e organização poderíamos vacinar os professores, por exemplo”, explicou. Para o Paulo Corrêa (PR) é necessário que o Governo do Estado atenda a esse apelo e compre mais vacinas. “Temos que ver essa questão dos grupos de risco também. Questionamos esse grupo ser tão restrito. Era importante levar em consideração, por exemplo, que o fabricante produzisse 40% a mais doses como uma folga para a compra de mais vacinas. Faltam vacinas até no fabricante”, destacou. Segundo Ministério da Saúde, a gripe Influenza A, da qual há o subtipo H1N1, é uma doença viral febril e aguda, caracterizada por início abrupto dos sintomas, que são predominantemente sistêmicos, incluindo febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, mialgia e anorexia, assim como sintomas respiratórios com tosse seca, dor de garganta e coriza. Agência ALMS