07/11/2015 09h54min - Geral
7 anos atrás

Dupla usa nome de empresa para compras e dá prejuízo de R$ 50 mil

Dupla usa nome de empresa para compras e dá prejuízo de R$ 50 mil

MarcosErmínio ► Equipe da Polícia Civil apreendeu cartões de crédito abertos em nome da empresa e vários holerites falsificados.

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Campo Grande News


Policiais do 1º DP (Delegacia de Polícia Civil) de Campo Grande conseguiram chegar ao paradeiro de dois homens acusados de estelionato. Eles usavam o nome de uma empresa para comprar equipamentos eletrônicos e o prejuízo pode ser mais de R$ 50 mil ao dono do estabelecimento. Conforme o delegado Miguel Said, responsável pelo caso, a equipe de policiais chegou até o técnico em informática Reiniel Valdes Barbosa, 23 anos, e o autônomo Roberto Torres, 35, após a vítima denunciar que haviam vários títulos protestados em nome da empresa. Em diligências, eles foram encontrados nos bairros Monte Castelo e Cabreúva, ontem (6) e hoje (7), e levados à delegacia para prestarem esclarecimentos sobre o fato. “A vítima reabriu a empresa e pediu a Reiniel que emprestasse o nome para o contrato social, já que trabalharia no local. Depois de uns dias, ele nunca mais apareceu no estabelecimento. Antes mesmo de ir procurar o acusado para saber se ele retornaria ao trabalho, a vítima descobriu que haviam sido feitas várias compras em nome da empresa. Foi quando desconfiou de Reiniel e fez a denúncia à polícia”, explicou o delegado. No período em que havia desaparecido da empresa, Reiniel foi morar na mesma residência que Roberto. Em parceria, ambos decidiram usar o nome da empresa, abrir contas, fazer empréstimos e adquirir vários cartões de crédito. Com o dinheiro, eles compraram computadores, impressoras, televisores, monitores e nobreaks em uma loja de informática da Capital. Com os equipamentos conseguiram forjar holerites e declarações de imposto de renda, o que facilitou na compra de mais objetos. A polícia conseguiu recuperar alguns deles, outros foram anunciados e vendidos em um site de compras. Em depoimento, ambos confessaram o crime, mas não quiseram ceder entrevista à imprensa na tarde desta sexta-feira (6). Ambos foram indiciados pelos crimes de estelionato e uso de documento falso. CampoGrandeNews