15/01/2018 13h37min - Educação
5 anos atrás

Fetems se manifesta contrária ao adiamento do início do ano letivo

Volta ás aulas

Divulgação ► Alunos da Rede Pública de Ensino do MS poderão ter o início do ano letivo adiado.

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Midiamax News


A Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) divulgou nota, nesta segunda-feira (15), manifestando-se contrária ao adiamento do início do ano letivo nas escolas públicas de Mato Grosso do Sul. Na semana passado, o presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Pedro Arlei Caravina (PSDB), prefeito de Bataguassu, declarou a possibilidade de os municípios pedirem a protelação do início das aulas, em virtude das condições das entradas no interior do Estado, que estão prejudicadas por conta das chuvas intensas. "O calendário escolar fica comprometido com o adiamento do ano letivo e aumenta as aulas a serem lecionadas aos sábados, e sabemos que a frequência dos alunos é reduzida nas aulas aos finais de semana, prejudicando as famílias e os estudantes, interferindo no planejamento programado", assegurou o presidente da Fetems, Jaime Teixeira, por meio de nota. A Fetems alega que o presidente da Assomasul e os prefeitos de Iguatemi, Tacuru, Sete Quedas, Coronel Sapucaia, Novo Horizonte do Sul, Itaquiraí e Eldorado declararam ‘Situação de Emergência’ em partes das áreas urbana e rural alegando problemas de infraestrutura causados pelas chuvas para justificar o pedido de adiamento, mas ainda faltam 25 dias para o início do ano letivo. Para a entidade sindical, “a Assomasul está usando estradas em má conservação como pretexto para provocar prejuízo para a educação pública”, finaliza o comunicado à imprensa. MidiaMaxNews