15/06/2016 08h35min - Polícia
6 anos atrás

Gestores de cidade desviavam medicamentos e favoreciam 'afilhados'

Mandados são cumpridos na Capital, Naviraí e em Três Lagoas

Divulgação ► Medicamentos desviados eram da farmácia pública de Naviraí

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


Operação batizada pelo nome de ''Tarja Preta'' é desencadeada na manhã de hoje, pela Polícia Federal, para desarticular grupo de gestores municipais que desviavam medicamentos da farmácia pública de Naviraí e favoreciam ''afilhados'' com fornecimentos. Em um ano, fraudes passaram de meio milhão de reais, segundo estimativa. A ação policial também acontece em Campo Grande e Três Lagoas. Devem ser cumpridos 17 mandados de busca e apreensão, 12 de condução coercitiva (quando a pessoa é levada para depor) e dois de sequestros de bens de pessoas investigadas. De acordo com informações da instituição federal, desvios de medicamentos que eram feitos pela Gerência de Saúde da Prefeitura Municipal de Naviraí são investigados desde o ano passado. Na época foi constatada a existência de grupo ligado politicamente ao chefe do Executivo da cidade, com fornecimento direcionado de medicamentos. Relatório da Controladoria Geral da União (CGU), que também participa da operação, constatou que a fraude era feita por meio de servidores públicos, mediante a prática de corrupção e gerou grande prejuízo à população carente do município. Ainda conforme a investigação, gestores municipais tiveram outros gastos irregulares com a aplicação de recursos federais, repassados pelo Ministério da Saúde, por intermédio do Fundo Nacional de Saúde, na aquisição e destinação de medicamentos do Programa de Atenção Básica em Saúde. Levantamentos da CGU detectaram em um ano fraude superior a R$ 500 mil. Valor que pode aumentar em razão das buscas e apreensões de documentos encontrados durante a ação policial. A operação “Tarja Preta” conta com 90 policiais federais e nove servidores da Controladoria Geral da União. São cumpridos 17 mandados de busca e apreensão, 12 de condução coercitiva e dois sequestro de bens de investigados. CorreiodoEstado