12/05/2022 08h48min - Geral
1 semana atrás

Global Big Day 2022: ação pretende estimular ainda mais a observação de aves no MS

FundturMS, trade turístico e Instituto Mamede vão compor time de Mato Grosso do Sul nas redes sociais com a hashtag #vempassarinharms e na plataforma ‘eBird’

Foto: Geancarlo Merighi ► 

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


A Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, em parceria com o Instituto Mamede e trade turístico, promove uma ação para estimular a participação de observadores de aves e fomentar o segmento.

De acordo com Karla Cavalcanti, diretora de Promoção e Mercado da FundturMS, o turismo do Mato Grosso do Sul organizou uma mobilização especial para este Big Day. “Além de aproveitar para praticar a atividade de observar nossas aves, estamos empenhados em posicionar melhor o estado no segmento. Já temos mais de 30 equipes por todo estado que irão contribuir com a ação. Por tudo isso, é muito especial termos essa organização para que nosso Big Day seja um sucesso”, anuncia.

O diretor presidente da Fundtur MS, Bruno Wendling, fala que um dos objetivos da ação é que MS tenha destaque cada vez maior no ranking do Big Day. “Estamos buscando as melhores formas que trabalhar, de acordo com o que o mercado de observação de aves gosta de atuar. Somos muito privilegiados no Mato Grosso do Sul, já que o estado tem mais de 650 espécies de aves nos vários biomas e isso nos torna um dos principais destinos de birdwhatching do país”, salienta.

Para saber quem ou qual lugar no mundo conseguiu registrar o maior número em espécies, todas as aves devem ser registradas no site ebird.org/globalbigday, onde o observador de aves também pode acompanhar os relatórios de mais de 170 países em tempo real. Qualquer pessoa pode participar e de forma gratuita. A ideia é incentivar tanto observadores de aves, fotógrafos, ornitólogos, guias de turismo e amantes da natureza a catalogar seus avistamentos.

E na próxima quinta-feira (12.05), haverá um treinamento técnico online para o trade turístico do MS sobre a plataforma eBird (ebird.org/globalbigday) com o biólogo Edson Moroni. Ele é um dos organizadores do Clube de Observadores de aves da Grande Dourados e empresário de uma agência de marketing com foto no turismo de natureza (@passarinweb).

No treinamento, o observador terá instruções sobre como identificar aves, como subir listas dos registros e saberá questões relevantes sobre a rede social. “Vamos ensinar como fazer o cadastro e até como criar um hotspot (local de grande concentração de aves) para colocar seu empreendimento, hotel ou pousada como um bom local para os observadores de aves frequentarem”, explica.

Ele fala ainda de aspectos importantes do Big Day “no papel de uma celebração mundial das aves, na conservação, na coleta de dados científicos através de ciência cidadã e também no potencial econômico do evento, já que muitas pessoas viajam para registrar determinadas espécies”.

A Dra. Simone Mamede, do Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo, destaca a participação do MS. “Serão 24 horas de observação de aves e o Mato Grosso do Sul não ficará de fora, pois aqui a riqueza de aves é um convite aos observadores do Brasil e do mundo. Serão aproximadamente 100 observadores de aves na ativa em diversos municípios do estado”, exalta.

A Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul tem um perfil com o nome ‘Visit MS Oficial Team’ para participar do Global Big Day e também com perfil no ebird.org, com usuário @visitmsoficial. E em todo o Mato Grosso do Sul já são mais de 30 equipes para o Big Day e elas poderão contribuir para alavancar o ranking estadual.

O evento, organizado anualmente desde 2015 pelo Laboratório de Ornitologia de Cornell, tem alcançado números cada vez maiores a cada edição. No Global Big Day realizado no ano passado, MS registrou um recorde local de observação desde a criação desse formato de evento. Foram 259 espécies registradas pelos observadores sul-mato-grossenses e até um registro novo de ave para o estado: a saíra-preciosa, avistada no Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema, região sul do estado, pelo guarda-parque Reginaldo de Oliveira.

Fonte: Debora Bordin de Araujo/Portal do Governo de Mato Grosso do Sul