09/11/2017 14h54min - Política
5 anos atrás

Governador diz que agregar renda ao pequeno produtor é grande desafio em MS

Reinaldo Azambuja

Divulgação ► Comunidade quilombola ganhou melhorias na produção de rapadura.

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Midiamax News


O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) participou da inauguração de diversas melhorias para a comunidade quilombola de Furnas de Dionísio, na manhã desta quinta-feira (9), em Jaraguari, distante 50 quilômetros de Campo Grande. Na ocasião, ele ressaltou a importância de parceiras e do investimento nos pequenos produtores. “Agregar renda ao pequeno produtor é o grande desafio hoje para todos nós do Mato Grosso do Sul”, declarou Reinaldo Azambuja. O governo estadual, por meio da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), deu apoio técnico e profissionalizante aos quilombolas. A Enegisa, concessionária de energia elétrica de Mato Grosso do Sul, investiu R$ 1,2 milhão na reforma da sede da associação dos produtores local e melhorias para eficiência energética. Foram beneficiadas 80 residências e as vias da comunidade, com troca de lâmpadas por led, instalação novos equipamentos de ar condicionado, assim como de geladeiras e freezers que consomem menos energia. Na reforma da sede da Associação dos Pequenos Produtores Rurais de Furnas de Dionísio, foi beneficiada a produção de rapadura local e outros produtos ligados à cana-de-açúcar. Agora, os produtos fabricados na comunidade terão apoio para serem vendidos nos supermercados do Estado. A UCDB (Universitária Católica Dom Bosco) faz parte da parceria auxiliando no design, desenvolvimento da marca e na elaboração de um plano de negócio. “Com parcerias você resolve muito problemas mesmo na dificuldade. Quando se tem vontade e se une esforços, gera oportunidades para fazer o crescimento Mato Grosso do Sul”, discursou Reinaldo Azambuja. “O grande desafio é dar continuidade, temos que profissionalizar, colocar este produto no mercado, agregar valor e aumentar renda”. Maria Batista da Silva, 59 anos, trabalha na produção de rapadura há 30 anos e comemora as melhorias. “A gente tinha dificuldade na hora da venda, agora com o selo e apoio a venda vai ficar muito mais fácil. Também vamos poder entregar em quantidade grande e melhores condições para entrega”. “A gente abraçou esse projeto desde o início, com o objetivo de fazer com que essa comunidade de se desenvolva. Buscamos inovação para superar os desafios e decidimos investir e gerar renda para essa comunidade”, falou o diretor-presidente da Energisa Marcelo Vinhaes. MidiaMaxNews