11/12/2015 14h39min - Geral
7 anos atrás

Militares da Marinha ajudam agentes no combate ao Aedes no Pantanal

Trabalho com apoio da Marinha é realizado três vezes por semana. Segundo último boletim, Corumbá têm 708 notificações de dengue.

ReproduçãoTV Morena ► Militares da Marinha ajudam no combate ao Aedes aegypti

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


O combate ao mosquito Aedes aegypti no Pantanal de Mato Grosso do Sul tem apoio da Marinha. Eles ajudam agentes de saúde em vistorias a imóveis e terrenos baldios de Corumbá, município distante 415 quilômetros de Campo Grande. O trabalho com apoio dos militares é realizado às terças, quartas e quintas desde o início de dezembro. De acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde, Corumbá já soma 708 notificações de dengue, sendo uma morte confirmada. Também há 18 casos suspeitos de chikungunya e seis confirmados. Em Ladário, município vizinho a Corumbá, são 135 casos suspeitos de dengue. Epidemia Campo Grande está em epidemia de dengue e conta com ajuda do Exército no combate ao Aedes aegypti e também no atendimento a pacientes suspeitos de dengue, zika vírus e chikungunya. A situação de epidemia foi anunciada pelo secretário-adjunto de saúde do município, médico Vitor Rocha, no dia 2 de dezembro. A última epidemia tinha sido em janeiro de 2013. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, de 27 de janeiro a 8 de dezembro foram 7.614 notificações, sendo 3.819 casos confirmados. Destes, cinco foram considerados graves. Oito bairros da capital sul-mato-grossense estão em alerta por causa da alta incidência da doença: Nova Campo Grande, Monte Castelo, Coronel Antonino, Vila Margarida, Jardim dos Estados, Tijuca, Aero Rancho e Jardim Batistão. Cuidados Além das ações do poder público, a população também pode e deve colaborar para evitar a proliferação do mosquito. Não deixar água acumulada é o principal cuidado, já que é onde a fêmea bota os ovos. Cada vez, um mosquito deposita cerca de 40 ovos. G1