04/04/2022 21h57min - Geral
4 meses atrás

MS apresenta seis pré-candidatos para concorrer ao Governo do Estado

Quase todos já exerceram cargos eletivos e já pensam no Governadoria

Divulgação ► Estes são os pretensos candidatos a Governo nas eleições deste ano

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


André Puccinelli,  foi ex-prefeito da Capital, depois se candidatou para o Governo do Estados, em 2010 concorreu à reeleição tendo disputado contra o ex-governador Zeca do PT.

 Conquistou a reeleição ainda no primeiro turno, tendo renovado seu mandato de governador do Mato Grosso do Sul até 2015.

Eduardo Riedel, foi secretário de infraestrutura na gestão do atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e deixou o cargo para concorrer nas eleições.

 Foi nomeado uma das cem personalidades mais influentes do agronegócio brasileiro.

Marquinhos Trad foi vereador, secretário de assuntos fundiários na época da gestão de André Puccinelli, como prefeito.

 Exerceu três mandatos como deputado estadual. Se candidatou a prefeitura da Capital em 2016, sendo reeleito em 2020 e renunciou a prefeitura na última sexta-feira (1º) para concorrer ao Governo do Estado.

Capitão Contar foi eleito em 2018 como deputado estadual pelo PSL. Contar tinha ingressado  no PL, mas foi para o PRTB, por onde concorre ao Governo do Estado.

Rose Modesto foi eleita vereadora da Capital, duas vezes, foi vice-governadora e secretária de estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho. Deixou o cargo em 2016 para  disputar a indicação do partido para a candidatura à prefeitura de Campo Grande.

 Depois concorreu à cadeira na Câmara dos Deputados, sendo eleita. Agora concorre à governadoria do Estado pelo partido União Brasil.

Zeca do PT foi deputado estadual duas vezes, governador do Estado, sendo reeleito em 2002. Em 2014 foi eleito deputado federal.

 Ele é um possível pré-candidato ao governo, mas depende da decisão do STJ. Zeca está condenado pela "farra da publicidade", o que o torna inelegível, mas está com recurso desde de 2021 na Suprema Corte.

 Sul News