06/06/2014 10h28min - Polícia
9 anos atrás

Polícia faz megaoperação contra a criminalidade em cidades de fronteira

Operação Policial

Ilustração  ► A Operação Fonteira Unida tem o objetivo prevenção e redução da criminalidade na fronteira

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


A Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), através da GGI-FRON (Gabinete de Gestão Integrada de Fronteira), deflagrou, na manhã de ontem (5) a “Operação Fonteira Unida: Copa do Mundo”, com o objetivo prevenção e redução da criminalidade na faixa de fronteira. Conforme o secretário executivo da GGI-FRON, coronel Mario José Martins Ferreira, a operação conta com 250 polícias, um helicóptero e cães farejadores do Batalhão de Choque, durante fiscalização na região de Coronel Sapucaia, Amambai, Laguna Carapã, Caarapó, Paranhos, entre outras cidades. “Nós estamos fazendo um trabalho preventivo para controlar os delitos na fronteira e reduzir a criminalidade. Também faremos esta ação na véspera do início da Copa do Mundo para conter o tráfico de drogas”, revelou o coronel. Em Mato Grosso do Sul o narcotráfico caiu com mais de 27,35 mil quilos de maconha, mesmo durante a Operação Ágata 8, que colocou 4,2 mil militares fiscalizando a fronteira. Os criminosos estão ampliando o envio de drogas ao Brasil com perspectiva de faturar com a Copa do Mundo, quando o Brasil deverá receber aproximadamente 600 mil turistas estrangeiros. A Operação Fonteira Unida: Copa do Mundo começou à 0h de ontem (5) e já apreendeu quase uma tonelada de maconha, 180 quilos, encontrados em um Saveiro, em Amambai e mais de 400 kg, em um veículo Captiva, na cidade de Paranhos. As Forças Armadas, PRF (Polícia Rodoviária Federal), PRE (Polícia Rodoviária Estadual), PMA (Polícia Militar Ambiental), Polícia Civil, PM (Polícia Mílitar), Corpo de Bombeiros, a Secretária de Fazenda, Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), Detran (Departamento de Trânsito) também participam da operação. De acordo com o coronel, a operação não tem data para terminar.