23/11/2016 13h31min - Esporte
6 anos atrás

Promotoria pede dois anos de prisão e multa de R$ 36 milhões a Neymar

Em acusação contra a família do craque e dirigentes, DIS pede à Justiça da Espanha que ele seja condenado a cinco anos e fique sem jogar futebol durante esse período

Reuters ► Neymar pai e Neymar na mira da Justiça na Espanha

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


A Justiça da Espanha recebeu nesta quarta-feira a acusação formal por parte da DIS contra Neymar, a família do craque e dirigentes de Santos e Barcelona por corrupção. Nela, o fundo de investimento pede que o camisa 10 da Seleção seja condenado a cinco anos de prisão e fique impossibilitado de jogar futebol durante esse período. Já a promotoria requisitou dois anos de prisão e € 10 milhões (R$ 35,9 milhões) de multa para o atacante brasileiro. A notícia vem a público horas antes de ele ir a campo com o Barça para encarar o Celtic pela Liga dos Campeões - em jogo na Escócia que o GloboEsporte.com transmite ao vivo a partir das 16h45. Além disso, o fundo de investimento quer uma indenização entre € 159 e € 195 milhões (R$ 571 a R$ 700,3 milhões) por conta da transferência do jogador para o futebol espanhol em 2013. Os dirigentes do Barcelona também estão na mira da DIS, que pede oito anos de prisão para o atual presidente do Barcelona, Josep María Bartomeu, e seu antecessor no cargo, Sandro Rosell. Procurado pela produção da TV Globo, Altamiro Bezerra, CEO da NN Consultoria, disse que Neymar e família estão tranquilos, pois este é um processo antigo que já havia sido arquivado e que foi reaberto há um mês à pedido da DIS. Ele informou, ainda, que não há nenhuma notificação da Justiça sobre o caso. Pouco depois, a empresa divulgou uma nota oficial. - Referente as notícias publicadas nesta quarta-feira sobre as acusações contra Neymar Jr. e seu pai, Neymar da Silva Santos, reiteramos que se trata do mesmo processo reaberto em setembro de 2016, que havia sido arquivado pelo juiz José de la Mata. As partes ainda não foram notificadas e nem comunicadas sobre a abertura de acusação do Ministério Público e no período certo irão apresentar a defesa. Continuamos tranquilos porque todos os contratos foram firmados com respeito aos preceitos legais, éticos e morais e com a ciência do Santos Futebol Clube e FC Barcelona. Seguimos seguros que o tempo oferecerá todas as respostas positivas - disse a NN Consultoria, empresa do pai do jogador. A disputa judicial, entretanto, não envolve apenas a DIS contra a família de Neymar e o Barcelona. Além do fundo de investimento, que detinha 40% dos direitos do jogador à época da transferência, a promotoria da Audiência Nacional (o equivalente ao Supremo Tribunal da Espanha) também pediu a condenação tanto do craque brasileiro quanto dos cartolas catalães. A pena, entretanto, é menor em ambos os casos: no caso de Neymar e seu pai, dois anos; de Bartomeu e Rosell, cinco. No início do mês, o juiz José de la Mata aceitou a denúncia contra Neymar, seu pai e sua mãe, Nadine Gonçalves, pouco mais de um mês após o Ministério Público da Espanha solicitar a reabertura do caso - que havia sido arquivado da esfera criminal em julho. A decisão do juiz espanhol abriu caminho para que o jogador seja levado a júri, e, desde então, os promotores tinham o prazo de 10 dias para formalizar o pedido de julgamento. - O DIS pede à Justiça espanhola que Neymar e Bartomeu sejam condenados pelos delitos de fraude e corrupção, por um lado a penas de prisão que possam alcançar os cinco anos e, por outro, que sejam desabilitados para que o sr. Bartomeu não possa continuar sendo presidente do Barça nem Neymar Jr. continue jogando profissionalmente na União Europeia - disse à imprensa Eliseo M. Martínez, um dos advogados da DIS. A quarta seção da promotoria, que solicitou ao juiz José de la Mata a reabertura o caso em setembro, entende que houve crimes de fraude e corrupção entre os envolvidos, o que forçou a reabertura do processo criminalmente. G1.com