05/06/2014 13h56min - Geral
9 anos atrás

Quinta morte por gripe A é a primeira do vírus H3N2

Saúde

 ► 

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


Uma jovem, de 21 anos, morreu, às 19h50 de terça-feira, na Unidade de Pronto-Atendimento (Upa) do Bairro Coronel Antonino, em Campo Grande, com sintomas de Gripe A. No prontuário, o médico disse que o óbito ocorreu por insuficiência respiratória e pneumonia viral não especificada, características presentes em casos de Gripe A. A morte, no entanto, não será investigada pela Secretaria Municipal de Saúde, já que não foram coletadas amostras da jovem para confirmar a presença da doença. Via Assessoria de Imprensa, a secretaria alegou que o prontuário da morte foi claro e não falou em gripe A. Em Corumbá, três pessoas morreram vítimas de gripe e todas apresentaram problemas respiratórios e pneumonia. No dia 27 de maio, a doença provocou o quarto óbito neste ano em Mato Grosso do Sul. A vítima, homem de 58 anos, morava em Costa Rica e morreu em Campo Grande. O paciente tinha H3N2, uma forma mais branda do vírus da Gripe A. No caso da jovem, o infectologista Rivaldo Costa disse que é “difícil saber” se foi realmente vítima da doença. “Sem exame para confirmar, não dá para saber”, frisou. Ela foi enterrada, antes de coletada amostra. “Só com autorização da família para fazer necrópsia”, comentou. Ainda de acordo com a Sesau, a paciente vinha apresentando os sintomas há sete dias. Na primeira vez, chegou à Upa com febre, fraqueza, tosse com expectoração amarelada e mialgia. “Quando passa de sete dias de evolução da doente, é difícil detectar o vírus pela saliva”, explicou o infectologista sobre o método mais simples de diagnosticar a doença. BOLETIM Nesta quarta-feira, a Secretaria de Estado de Saúde divulgou mais um boletim da gripe no Estado. Até agora, são 227 notificações, 10 a mais que o balanço publicado, na última quarta-feira (28). No total, 71 foram registrados em Campo Grande; 69, em Corumbá e 27, em Caarapó. Estão confirmados sete casos do vírus H1N1; 16, de H3N2 e um, de Influenza B. Prorrogada por quatro vezes na grande maioria dos municípios do Estado, a campanha de vacinação contra a gripe atingiu 75,5% da meta em Mato Grosso do Sul.