03/02/2017 13h07min - Política
6 anos atrás

Reinaldo entrega hospital de Ponta Porã e licita o de Dourados neste mês

Licitação do hospital de Três Lagoas está concluída

LeonardoCremer ► Hospital de Ponta Porã já está atendendo pacientes

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Campo Grande News


O governo de Mato Grosso do Sul vai inaugurar no dia 22 deste mês o Hospital Regional de Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande. A unidade já está atendendo a população. Também nas próximas semanas deve ser aberta a licitação para a construção do Hospital Regional de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande. A obra chegou a ser iniciada em 2014. O governo estadual teve de modificar o projeto apresentado em Brasília para fazer uma nova licitação. O estado também discutiu a possibilidade de mudar o local do hospital, mas por fim se convenceu a manter a construção no terreno localizado na margem da BR-463, na saída para Ponta Porã. O terreno foi doado em 2012 pelo empresário Adão Parizotto, do ramo de cereais e dono de um loteamento próximo ao local onde o hospital vai ser construído. O secretário estadual de Saúde, Nelson Tavares, falou ao Campo Grande News sobre as obras dos hospitais e disse que o governo espera para breve uma definição sobre a unidade de Dourados. Reunião em Brasília - “Estive na semana passada no Ministério da Saúde, fizemos reunião com a secretaria de obras e nós esperamos uma resposta para semana que vem. Já foi aprovada parte de arquitetura, que é o mais difícil. Para poder licitar, o Ministério da Saúde tem de aprovar a planilha de custos”, afirmou. Segundo Tavares, a expectativa é de que a licitação esteja pronta para ser lançada em até três semanas. “Honestamente, nunca tinha ido projeto [do hospital de Dourados] ao Ministério da Saúde. Refizemos todo o projeto, encaminhamos ao ministério e estamos discutindo há quase um ano. Agora estamos nos 'finalmente' da aprovação”. Conforme o secretário, a obra foi hospital foi lançada em 2014 “a toque de caixa”, sem ter recurso garantido. “Conseguimos recuperar o convênio de R$ 20 milhões, mais um de R$ 4 milhões. O Estado vai dar contrapartida de R$ 6 milhões. Acho que a obra vai importar uns R$ 33 milhões, fora os equipamentos”. Nelson Tavares estimou em dois anos o tempo para construir e equipar o hospital regional de Dourados, que, segundo ele, será um complexo de saúde, para substituir o Hospital da Vida, pacientes de Dourados e de outras 30 cidades da região são atendidas atualmente. “O hospital vai ter um centro de especialidades e centro de diagnóstico, com tomografia, ressonância, raio-X, com especialistas, internação e todo exame que for preciso para atender a região de Dourados. e terá um custo menor porque vai funcionar tudo junto”, disse o secretário. Ponta Porã – Nelson Tavares afirmou que no dia 22 deste mês o governador deve ir lá inaugurar alas reformadas, lavanderia, cozinha e recepção do Hospital Regional Dr. José Simone Neto, em Ponta Porã. “Vamos ativar os 10 leitos de terapia intensiva e apresentar o resultado da nova gestão, que é o mais importante. Nos últimos três meses o hospital fez mais de seis mil procedimentos”. A gestão do hospital está sendo feita por uma OS (Organização Social). O contrato foi assinado com o Instituto Gerir em agosto do ano passado. A empresa ficará responsável pela gestão da unidade de saúde, com o objetivo de melhorar os atendimentos a pacientes de oito municípios que da microrregião – Amambai, Antônio João, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Paranhos, Ponta Porã, Sete Quedas e Tacuru. O hospital oferece 104 leitos de internação e centro cirúrgico com três salas em funcionamento. Agora passa a contar com dez leitos de UTI, entre eles, um leito de isolamento e três leitos humanizados, com direito a acompanhante. Três Lagoas – Sobre o hospital regional que vai ser construído pelo governo do Estado em Três Lagoas, a 338 km da Capital, Tavares informou que a obra já foi licitada, mas a vencedora a licitação ainda não foi divulgada. “Depois que começar a obra a estimativa é de ser entregue em dois anos”. A obra está orçada em R$ 68,4 milhões, sendo R$ 41 de financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento). O novo hospital, com 192 leitos, será construído em terreno de 23 mil metros quadrados, doado pelo empresário Magid Thomé Filho. Jardim – No município de Jardim, a 233 km de Campo Grande, a intenção, conforme Nelson Tavares, é ampliar o hospital que já existe. “Não queremos inventar hospital. Ainda não há projeto, estamos em discussão com o Ministério da Saúde de forma a aproveitar o que já existe. Dependemos do ministério”. Aquidauana – Já em Aquidauana, a 135 km de Campo Grande, segundo o secretário de Saúde, o governo do Estado iniciou o processo para implantar uma OS para administrar a unidade. “Ali a dificuldade é melhorar a gestão. Estamos em conversa com a prefeitura e o Ministério Público para definir essa questão”, informou. CampoGrandeNews