24/05/2018 17h25min - Geral
4 anos atrás

Reinaldo rejeita reeditar ICMS menor para diesel e diz que busca alternativa

busca alternativa

arquivo ► Reinaldo falou de sua preocupação com o momento em que o País está passando

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Campo Grande News


O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou nesta quinta-feira (24), em Campo Grande, que não pretende rever a alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias) sobre o diesel, a exemplo de como foi feito em 2015. Á época, o valor foi reduzido de 17% para 12%, conforme lembrou o governador durante agenda pública, na sede da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul). "Já fizemos isso em acordo com setor produtivo e de distribuição de petróleo. Baixamos de 17% para 12% para que houvesse aumento do consumo. Naquela época, o consumo não aumentou, tanto que a alíquota voltou ao valor", lembrou. "Estamos dialogando com Sinpetro e buscando alternativas, mas temos que considerar a anualidade da lei do ICMS. A questão deve ser resolvida a nível de Governo Federal", reforçou. Considerando o ICMS, Mato Grosso do Sul tem a menor alíquota de gasolina do País, 25%, a mesma de São Paulo, sendo a alíquota sobre o diesel de 27%, a 9ª tarifa do Brasil, de acordo com Azambuja. "O grande problema é a precificação dp petróleo em dólar. O barril de petróleo saiu de U$ 38 para U$ 82, e o dólar subiu junto, puxando os preços para cima. Entendo ser legítima a reivindicação dos caminhoneiros, mas desde que não haja cerceamento do direito de ir e vir, causando prejuízos e desabastecimentos", acredita. Ele disse ainda que p Governo Federal está "sentado à mesa" com toda a liderança nacional. "Precisa achar uma solução rapidamente. Não pode continuar esse jogo de empurra entre goveno federal e os estados", defende. O governador participou, nesta tarde, da apresentação de balanço do Fadefe (Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Econômico e Equilíbrio Fiscal). CGNews