16/08/2018 08h32min - Geral
4 anos atrás

Renúncia de Chaves abre crise e tensão na campanha de Odilon


Álvaro Rezende e Bruno Henriqu ► Odilon acusou ainda ex-aliado de egoísta e Chaves rebateu o ataque

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


A renúncia da candidatura à reeleição do senador Pedro Chaves (PRB) abre crise na campanha do juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT) ao governo do Estado. E não faltou troca de acusações pesadas. Tudo isso aconteceu à véspera do início da batalha eleitoral, que começa hoje. Em mensagem ao presidente regional do PRB, Wilton Acosta, o senador acusou o PDT de fazer “aliança espúria e silenciosa com Podemos” e, como resposta, Odilon chamou Chaves, sem citar nome em nota, de “covarde, egoísta, frouxo e venal”. De acordo com Chaves, “a condição ‘sine qua non’ (sem a qual não) era ter um candidato único para o Senado Federal”. Mas ele teria sido surpreendido com o lançamento do advogado Humberto Figueiró (Podemos) para concorrer ao Senado sem avisá-lo. “Infelizmente, o PDT fez uma aliança espúria e silenciosa com o Podemos, lançando, sem meu conhecimento, mais um candidato ao Senado, inviabilizando assim minha candidatura”, criticou. Pedro Chaves ressaltou ainda ter dado prazo de 12 dias para o PDT resolver esse impasse e “cumprir a palavra empenhada”. Mas não foi isso que aconteceu. O PDT ignorou os apelos do senador. "Lamentavelmente, até esta data [ontem] todas as tentativas foram em vão”, afirmou. “Não querendo atrapalhar os destinos da coligação, saio de cena, renunciando, em caráter irrevogável e irretratável, à minha candidatura”, decidiu o senador em nota ao dirigente do PRB. Correio do Estado