06/05/2020 09h02min - Geral
2 anos atrás

Reunião com ministro termina sem acordo e fronteira vai continuar fechada

fronteira continua fechada

Arquivo ► Fronteira entre os dois países vai continuar fechadas

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Campo Grande News


A fronteira do Paraguai com o Brasil no trecho entre o departamento de Amambay e Mato Grosso do Sul, onde ficam as cidades-gêmeas Pedro Juan Caballero e Ponta Porã (MS), vai continuar fechada por causa da pandemia do novo coronavírus.

Após pressão de políticos e comerciantes locais para a reabertura dos acessos entre as duas cidades e do comércio do lado paraguaio, o ministro da Defesa do Paraguai Bernardino Soto Estigarribia se reuniu nesta terça-feira (5) em Pedro Juan Caballero, mas o encontro terminou sem acordo e nada muda por enquanto.

No lado paraguaio, o comércio em geral, incluindo os shoppings de importados, está fechado desde a primeira quinzena de março. As fronteiras foram fechadas no dia 24 de março. Ontem começou a vigorar no Paraguai a chamada “quarentena inteligente”, que afrouxa um pouco as medidas de isolamento, mas o presidente paraguaio Mario Abdo Benítez afirmou que as escolas e as fronteiras só serão reabertas na última etapa.

No mês passado, liderados pela Câmara de Comércio da cidade, os empresários sugeriram a instalação de pelo menos três barreiras sanitárias para permitir a entrada de consumidores brasileiros.

Entretanto, Bernardino Soto Estigarribia afirmou que devido à extensão de fronteira seca entre os dois países seriam necessários pelo menos 3.500 soldados do Exército paraguaio para impedir acesso nos demais trechos da Linha Internacional. Atualmente os militares fazem barreiras nos principais acessos e uma cerca de arame farpado foi instalada entre as duas cidades.

Em entrevista coletiva a jornalistas na sede do governo de Amambay, o ministro deixou claro que não será atendido o pedido da Câmara de Comércio de viabilizar três ruas para entrada de trabalhadores, turistas e mercadorias. Segundo ele, o aumento recente dos casos confirmados de covid-19 no Paraguai ocorreu por causa de cidadãos paraguaios que estavam no Brasil e retornaram para aquele país.

Estigarribia disse que as medidas em vigor vão continuar por ser impossível fechar a fronteira e concentrar os acessos em três pontos. Entretanto, afirmou que mercadorias vão continuar entrando através do controle da alfândega paraguaia.

“A fronteira segue fechada. Sabemos que existe sentimento comum entre Ponta Porã e Pedro Juan Caballero, mas temos de fechar a fronteira porque entre os compatriotas que têm ingressado provenientes do Brasil temos muitos contagiados”, afirmou o ministro. O Paraguai tem 431 casos confirmados de coronavírus. Dez pessoas morreram e 135 já estão recuperadas.

CAMPO GRANDE NEWS