24/05/2016 13h36min - Geral
7 anos atrás

Sem conseguir comprar, prefeito de Naviraí pede 30 mil vacinas a Ministério

Município já registrou 4 mortes por H1N1 e investiga 35 suspeitas

Divulgação ► Sem conseguir comprar, prefeito pede 30 mil vacinas ao Ministério da Saúde

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Midiamax News


Com quatro mortes por H1N1 e outros 72 casos de suspeitas da doença em Naviraí, distante 348 quilômetros de Campo Grande, o prefeito Léo de Matos (PSD), que chegou a antecipar as férias escolares a fim de evitar uma possível epidemia, pediu doses da vacina ao Ministério da Saúde. Antes de fazer a solicitação, o chefe do Executivo municipal tentou comprar as imunizações, no entanto, não há produto disponível em laboratórios. Em um encontro com o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), na manhã desta terça-feira (24), o prefeito revelou que o município encaminhou um pedido de 30 mil vacinas junto ao Ministério da Saúde. Segundo ele, a quantia é suficiente para vacinar toda a população local. “Tivemos quatro mortes e mais de 70 casos suspeitos”, justifica. O prefeito frisa que até tentou adquirir as vacinas, mas que isto não foi possível e, por isso, para imunizar os naviraienses depende de uma resposta positiva do Ministério da Saúde. Três mulheres de 56, 59 e 66 anos e um homem de 89 morreram vítimas de H1N1 em Naviraí. Conforme dados do boletim da Vigilância epidemiológica do município, até essa segunda-feira (23), 100 pacientes passaram por exames para saber se estavam com o vírus. De acordo com a última atualização, divulgada ontem, 37 casos da doença, incluindo os quatro óbitos, foram confirmados em Naviraí e 35 aguardam resultado do exame. Outros 28 suspeitas foram descartadas. As férias das escolas municipais e estaduais, que contam com aproximadamente 15 mil alunos matriculados, foram antecipadas e tiveram início na última quarta-feira (18). Além disso, o juiz Paulo Roberto Cavassa suspendeu o atendimento ao público externo, audiências e sessões de mediação e o serviço foi normalizado ontem. Na Delegacia de Polícia Civil do município, a confecção de boletins de ocorrências que podem ser feitas pela internet também foram interrompidas no mesmo período. Midiamax