30/06/2014 13h51min - Polícia
9 anos atrás

Traficantes já perderam R$ 10 milhões com aumento de apreensões em MS

A casa caiu

G1 ► DOF apreendeu 35 toneladas de entorpecentes no ano passado

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


O DOF (Departamento de Operações de Fronteira) já causou neste ano prejuízo de aproximadamente R$ 10 milhões aos traficantes que atuam em Mato Grosso do Sul. O valor é referente apenas às apreensões de cocaína que cresceram mais de 1.000% nos últimos seis meses. De acordo com dados divulgados pelo Departamento, de janeiro a 25 de junho de 2013 os policiais haviam apreendido 39 quilos da droga. Em 2014, o número subiu para 456 quilos. No flagrante mais recente, ocorrido na noite de terça-feira, foram retirados de circulação 262 quilos, na região de Corumbá. O entorpecente, transportado por um homem de 36 anos, foi encontrado dentro de dois tanques de combustíveis de uma carreta que seguia pela BR-262. O motorista tentou furar a barreira de fiscalização, mas acabou detido. Ele disse que o material seria levado para o Estado de São Paulo, e que este seria seu segundo ‘frete’. O coronel Osnei Nazareth Duarte, diretor do DOF, afirma que este crescimento no número de apreensões de cocaína, em seus diversos tipos, está relacionado com o melhor preparo dos policiais, e também ao maior fluxo de turistas que entram no Brasil pelo Paraguai e pela Bolívia. “Nossos policiais estão sempre participando de treinamentos que têm contribuído para reforçar as ações no combate ao crime. Além do bom efetivo, dispomos de equipamentos e viaturas modernos. Por outro lado, também houve aumento no tráfego de turistas por causa da Copa do Mundo. Assim, os traficantes tentaram se aproveitar da situação, mas se depararam com uma polícia preparada”, disse. Mais apreensões – Até o momento no ano, o DOF chega a quase 12 toneladas de entorpecentes recolhidas, incluindo maconha, haxixe, cocaína, pasta base de cocaína, lança-perfume, óxi e crack. No ano passado foram retiradas de circulação 35 toneladas, o que causou aos traficantes um prejuízo de mais de R$ 12 bilhões. “O policiamento itinerante, no qual fazemos rondas em estradas vicinais, sempre em locais diferentes e pontos estratégicos, tem dificultado o trabalho dos criminosos. O apoio da Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira), que atua como a polícia judiciária do DOF, tem sido importante, pois dá continuidade ao nosso trabalho, fazendo investigações e prendendo outros envolvidos”, ressaltou Duarte.