18/12/2015 13h38min - Geral
7 anos atrás

União reconhece emergência em 14 das 22 cidades de MS que decretaram

Chuvas provocaram diversos estragos principalmente no sul do estado.

ClaudiaGaigher ► Chuvas em Naviraí provocaram cratera que ameaça casas próximas

Odilo Balta / jornalcorreiodosul@terra.com.br
Fonte: Assessoria de Comunicação


Portaria da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil publicada na edição desta quinta-feira (17) do Diário Oficial da União reconhece a situação de emergência em 14 das 22 cidades de Mato Grosso do Sul que decretaram o estado em razão dos estragos provocados pelas fortes chuvas que vem ocorrendo desde o fim de novembro. Segundo a portaria, foi reconhecida a situação de emergência nas cidades de: Amambai, Aral Moreira, Caarapó, Coronel Sapucaia, Eldorado, Iguatemi, Itaquiraí, Japorã, Juti, Naviraí, Novo Horizonte do Sul, Paranhos, Sete Quedas e Tacuru. Esse quadro já havia sido homologado por decreto da Defesa Civil Estadual na semana passada. Além desses 14, outros seis municípios decretaram o estado de emergência e formalizaram a situação com a Defesa Civil estadual: Bela Vista, Jardim, Mundo Novo, Deodápolis, Fátima do Sul e Caracol. Os municípios de Laguna Carapã e Campo Grande declararam emergência, mas não foram reconhecidos pelo órgão estadual. Nas 20 cidades listadas pela Defesa Civil, foram contabilizadas 120 famílias desabrigadas, 189 desalojadas, 21 rodovias estaduais danificadas, 119 rodovias municipais afetadas e 48 pontes de estradas municipais destruídas, entre outros estragos. Em Caracol, por exemplo, que fez a publicação do decreto na terça-feira (15), o prefeito Manoel dos Santos Viais (PT) apontou como justificativa para a situação a ocorrência de alagamentos, erosões e os danos a estradas, rodovias, pontes e vias públicas urbanas. Ele apontou que grande parte das estradas existentes na zona rual do município estão intransitáveis. A emergência foi decretada, conforme o gestor, para garantir a segurança da população, com a construção e recuperação de pontes e estradas. G1